terça-feira, 26 de janeiro de 2010

Como tudo começou

Sempre tive uma tendência de mexer no cabelo, mas aos 11 anos comecei a sentir um prazer fora do normal em fazê-lo.

Comecei por tirar um fio...
outro fio...
outro fio...
um pequeno tufo de fios de cabelo...
mais um...
mais outro...
surge a primeira pelada!

TITA, O QUE É ISSO NO TEU CABELO???? perguntou a minha mãe, toda preocupada...

Lá fui eu a uma consulta de Dermatologia com a minha mãe, toda preocupada!
Disseram só que era um tique nervoso e que ia passar com a idade!

Não passou e as peladas foram aumentando!
As minhas falhas de cabelo estão situadas nos lados e no topo da cabeça. Mesmo assim, considero o cabelo o meu melhor amigo, pois nunca nenhum amigo meu notou! Sempre consegui esconder muito bem!

As situações que me puxam mais para arrancar cabelo:
- a conduzir
- a ler
- a estudar
- sozinha
- triste
- nervosa
- à noite na cama
- a ver TV

Tenho conseguido ter muita força de vontade para não ir ao cabelo!
Já lá vão uns bons dias!

Todos os dias são uma vitória!

6 comentários:

Talita disse...

olá...comecei aos meu 12 anos,
foi igual o seu começo.. de fio em fio e o prazer...
e tbm as situações q me fazem arrancar ou ouxar os cabelos são iguais as suas...
temos muito em comum..
bjooo

Anónimo disse...

ola,
ha mais dez anos tenho trico, nunca comentei isso com ninguem e ninguem nunca reparou nas minhas falhas a nao ser minha mae....
NAO AGUENTO MAIS ESSA VIDA.....
BEIJOS BIANCA MARQUES

Anónimo disse...

Amigos

Entrei no grupo para divulgar a minha experiência.
Foram dolorosos seis anos, psicólogos, psiquiatras, medicações, shampoos diversos, dermatologista,etc. E nenhum resultado, até que uma voz soprou nos meus ouvidos; 'Limão com sal, com sal viu"? E mesmo sem acreditar, tentei. Espremir um limão, coloquei uma colherzinha de sal e passei no meu couro cabeludo, e de vez em quando, passo. Resultado: Estou livre e feliz. Mesmo que vc não creia, tente!
Abraço de Aldinha.
Meu e-mail do orkut é: aldinha2010@uol.com.br

Anónimo disse...

Olá
Comigo também o início foi igual!!!
Sempre estava com as mãos no cabelo, alisando!!! E na infância minha mãe cuidava muito dos meus cabelos, porque sempre foram longos e volumosos e também devido a questão dos piolhos. Eu amava quando minha mãe pedia para eu colocar a cabeça em seu colo, para examinar, ficávamos muito tempo ali, e confesso, eu adorava!!! Após, já com 12 anos, era eu quem tinha que cuidar dos meus cabelos, mas sentia uma falta danada dos cuidados da minha mãe. Então, recordo que muitas vezes pedia um cafuné para ela. Creio que foi a partir daí.
Hoje, a doença está no estágio em que eu comando,controlo ao máximo, e as vezes sinto uma vontade enorme de puxar algum fio, mas vai depender muito de como está o meu cotidiano, calmaria ou agitação!
A todas deixo uma mensagem mantenham a fé, perseverem em oração e dê graças ao Senhor por ter vencido cada dia, minuto, segundos.Cada etapa vencida merece uma comemoração, ligue para uma amiga, amigo ou um familiar mais próximo, compartilhe com alguém, expresse sua alegria, sinta-se satisfeita com cada degrau que você tenha alcançado, a escada leva ao céu, não importa se você está no começo ou no topo, continue firme, a vitória vai chegar para mim e para você!!! Creia!!!

É uma boa dica da Aldinha, quem sabe esta coceira que temos no couro cabeludo, que os médicos dizer ser apenas psícológico, existe de fato, e seja ela a causa da trico? Vale a pena tentar!!!
Vou começar hoje e venho contar como está sendo a experiência, dando certo, pretendo plantar um pé de limão em casa rsrs
Beijos e boa sorte!!!

Anónimo disse...

Olá :)

Tenho 27 anos e penso que foi por volta dos 17 que comecei a "sentir" e "analisar" alguns dos meus fios de cabelo da cabeça. Achava muita piada em tentar encontrar fios com texturas diferentes...e arrancava-os para sentir melhor ...

Mas de repente, quando dei por mim, estava a arrancar as minhas sobrancelhas!
Sinceramente não me lembro de ter começado este ritual, só me lembro do prazer que sentia quando tocava nas minhas sobrancelhas, e até começar a puxar os fios... foi um passo que nem me dei conta.

Nestes anos todos, nunca fui capaz de partilhar com ninguém esta parte de mim. Apenas o meu namorado sabe, mas diz que é um tique, que não tenho doença nenhuma, que se não quiser não o faço.
Detesto quando estou distraída e puxar fios e oiço " Pára com isso!" Sinceramente isso só me faz apetecer arrancar os fios todos!!!

Além de usar franja, antes de sair de casa, tenho o ritual de pintar as falhas... Há alturas melhores do que outras, ás vezes só me apetece enfiar-me num buraco e esconder-me do mundo.. Sinto que pareço um bixo! Sinto-me estúpida.

Sinto que esta coisa maldita estraga a minha vida, faz-me afastar das pessoas, literalmente. Evito tanto o contacto "olhos nos olhos", não quero que olhem para a minha cara.

Neste momento, tenho as sobrancelhas relativamente "apresentáveis", mas por experiência própria, infelizmente sei que isso pode mudar em 5 minutos.

Sinto-me estúpida especialmente porque tenho alguém muito próximo que faz Hipnoterapia, e que de certeza poderia ajudar-me.. mas tenho VERGONHA de dizer o que se passa comigo... Não sei como poderia começar a conversa, não quero sentir-me estúpida por fazer isto, ou melhor ainda mais estúpida. Sei que sou gira, e maltrato o meu corpo.

Mas ainda não desisti de controlar isto sozinha, sei que se conseguir fazê-lo, consigo fazer o que quiser. Até lá, vou desviando as atenções com um sorriso.

Beijinhos a todos e boa sorte.
Bruna

Gabi Dolmayan ღ disse...

Olá, m chamo Gabriela, tenho 22 anos e sofro de ttm desde os 15.. estou há 5 meses abstinente .. não estou consultando pscólogo ou psiquiatra, nem me medicando.. mas estou conseguindo vencer graças a ajuda de algumas pessoas muito especiais que surgiram em minha vida durante essa jornada. Estou confiante de que eu POSSO me curar desta maldita doença.. =)

segue meu blog ?? vencendoattm.blogspot.com

bjo linda :)