quinta-feira, 28 de janeiro de 2010

Não sei porquê...

Hoje tive necessidade de dizer a uma amiga especial de quem era este blog...e de quem eram as imagens daquelas peladas...

São minhas, amiga!
Nunca tinhas reparado, pois não?
Muita gente nem imagina!
Estive muito tempo sem tirar um fio, mas quando tive depressão e fui para o Hospital, disparou tudo!

Não tenhas pena, não digas palavras de consolo, não tenhas medo de mexer no meu cabelo...
acima de tudo não tenhas vergonha ou nojo de mim, porque não tenho culpa!

É uma luta diária e silenciosa...O maior sofrimento foi durante os meus 11 anos porque ninguém compreendia o que isto era! Sem sentido de maldade, a minha mãe expunha as minhas falhas às outras pessoas e falava delas...! O meu pai gritava comigo e dizia que quando fizesse 18 anos, a minha prenda de aniversário seria uma peruca! As minhas primas riam-se e quando me apresentavam às amigas diziam "olha, é a prima que te falei. A que arranca cabelo". A mãe da ex-namorada do meu irmão envergonhava-me em frente às pessoas e dizia-me "então? ainda arrancas cabelo?"...
Esse sofrimento junto com o falecimento da minha avó e o aparecimento da doença minha mãe...era quase insuportável! O meu lado mais solitário e mais triste deriva daí!

Depois, estive quase 5 anos sem arrancar o cabelo. 
Estava grande, lindo.
Aos 16 anos namorei (se é que se pode chamar assim) com um estupor que me arrasou a auto-estima, que me traía e que abusou sexualmente de mim (apesar das terapeutas afirmarem que foi violação) quando soube que de mim não teria nada. Foi um golpe brutal a uma jovem inocente, que se apaixonara de uma forma tão pura! 
Esse meu lado mais triste piorou...adoeci (com medo até que tivesse a mesma doença da minha mãe)...e a Trico voltou!

Tratei-me numa psicóloga e consegui voltar a deixar crescer o cabelo.
Mas o ambiente daquela faculdade, aquela pressão, aquela gente, aqueles colegas que se encostavam a mim por interesse...rebentaram com o resto da minha saúde...fui internada...e a Trico voltou em força!

O melhor que me aconteceu em todos estes anos foi conhecer o meu marido, que me ajuda e que, mais ou menos, me compreende, porque se tenta informar e vai comigo às consultas.

Este blog é a minha luta e tu, hoje, soubeste mais do meu eu
...
Este post é dedicado a ti, S.

7 comentários:

Nina disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Tita disse...

Já há um tempo k nao mexo no cabelo, nina! :)

e quanto às unhas...
eu era uma ROEDORA nata...e isso desapareceu assim do nada! e adoro pintá-las e limá-las...
lol
coisas de gaja! :)

CABELO & MODA & TENDÊNCIA & FASHION disse...

Parabéns pela iniciativa do blog!
Amei a sua visitinha em meu blog.
Bjsss...milll...

Anónimo disse...

Achas que uma coisa destas me impedia de me aproximar de ti...de te mimar...de te abraçar ou de tocar no teu cabelo?! Duvido que o fizesse se tivesses sarna!lol
Tenho muito orgulho em ti, mas muita pena...não de ti, mas dessas pessoas más que se aproveitaram da tua fraqueza para gozarem contigo.
Apetecia-me esbofeteá-las a todas!
Adoro-te, amiga! Em mim, terás sempre um abraço muito forte. Bastou-me ler-te dizer-me que não tinhas dores, para ver a Trico como um roer de unhas. Mas,amiga, como já te disse, o cabelo fabuloso que hoje tens, ainda te permite esconder...qd fores mais velha, envelhece...tu sabes, por isso, no que depender de mim, vou torturar-te, como fiz ao meu mano por causa das unhas, OUVISTE?
Não te quero ver chorar por teres perdido o teu amigo cabelo!:)
beijinhos, amiga!
Sê forte, tá?:)
ADORO-TE!

Érica disse...

Adorei sua depoimento de vida da Trico...cmgo naum é muito diferente, mas por eqto ainda naum fui internada...tenho uma filhinha que precisa de mim..preciso ser forte!!!
bjss

Anónimo disse...

Oi Tita!!!
À pouco descobri que sou parte de seu mundo, mas um pouquinho mais complicado, tenho como companheira por + ou - 06 anos a Tricotilofagia.Também sou uma pessoa muito fechada desde a infância, não me lembro de ter isso já nesta época. Mas hoje descobri que foi à 06 anos. Mesma idade de meu filhote.Não consegui amamentá-lo, porque os bicos de meus seios eram invertidos. Ele não dormia nem de noite, nem de dia,o que me causava um stress tremendo. Nesta época comecei a arrancar os cabelos, ainda não comia as raízes, mas grudava-as no espelho e ficava observando por um longo tempo. Passados alguns meses, comecei a por a raíz na boca e mastigar, daí em diante não lembro de mais nada.Hoje depois de muita luta e consultas médicas, descobrimos que nosso Filho é Autista. Percebemos a diferença de comportamento cedo, mas não tivemos sorte com os primeiros médicos.Fico feliz com suas vitórias e por saber que não estou sozinha.Também comecei a fazer terapia, faz apenas 02 meses, foi neste período que descobri que tinha depressão e a tal de Tricotilofagia.Obrigada por seu blog e sua coragem, espero conseguir também ficar mais um dia sem arrancar nenhum fio, thau!!!!!

Sonia disse...

Parabéns pelo blog!
A maior doença que possa existir no mundo é não assumir os pontos fracos e desse mal jamais morrerás.
Ninguém é perfeito e cada qual com suas fraquezas! Mas o belo esta em colocar a boca no mundo para dizer: -"Eu também sofro disso"!
E nessas horas descobrimos que não estamos sozinhas.
Não tenho essa fraqueza, mas claro que vivo outras porque faz parte do ser humano esse lado que todos tem.
Continue assim gritando ao vento para ajudar outras pessoas.

Bjssss...