terça-feira, 19 de junho de 2012

Consequências do desmame

Olá amigos de todo o mundo, como têm passado? Tenho recebido imensos e-mails de pessoas a pedirem ajuda, mas o que posso responder? ... cada caso é um caso e eu não estou livre da trico! Era bom...! Limito-me a dar força, pois é o (pouco/muito) que consigo fazer!

Com a chegada do Verão, chega também a vontade de amarrar o cabelo e é já com alguma resignação que constato que os ganchos têm de me continuar a acompanhar, com o objetivo de tapar as peladas dos lados da cabeça. Vocês perguntam-me se tenho arrancado e a minha resposta é "sim".

Há uns meses, a minha Psiquiatra decidiu que já era hora de desmamar o ansiolítico, mas os efeitos secundários foram imensos. Apesar do (normal) aumento da ansiedade, derivado da privação da substância, o formigueiro no couro cabeludo disparou. Parecia que sentia aranhas a passearem-se pelo couro cabeludo e só conseguia aliviar, arrancando. Paralelamente, o desmame afetou-me o sono e a única maneira de adormecer era mexendo no cabelo. Sentia-me embalada e, de cansaço, acabava por cair no sono...

Felizmente, já lá vão quase 4 meses desde o desmame e o desconforto capilar tem diminuído, apesar de ainda não totalmente! Mesmo assim, para celebrar, fui mudar o meu look e fiz umas nuances no cabelo. Ficou giro!! Muito giro aliás!!

Estou aqui para vocês...! Não estão sozinhos!
Muita força a todos e lembrem-se: evitem sempre arrancar o primeiro fio! Um abraço!

4 comentários:

criis disse...

como posso entrar em contato com vc ? eu sofria com isso e gostaria de ajudar alguem

Anónimo disse...

Olá, meu nome é Sulli, sou do Brasil e desde setembro/11 quando tomei conhecimento dos grupos de apoio e que eu estava com um vício (ou doença, não sei) res, foi aí que eu resolvi banir a TTM definitivamente de minha vida. A trico me afligia há mais de 15 anos!!!!
Hoje eu ainda estou me recuperando, meus cabelos estão se igualando nas áreas afetadas por debaixo da cabeça, mas posso dizer que estou muito feliz porque consegui vitória contra a TTM. Foi preciso pedir ajuda a Deus e muita força de vontade e perseverança de minha parte. Eu sou firme nos meus propósitos e no dia que eu decidi parar foi um marco na minha vida. Ontem fui ao cabeleireiro fazer escova progressiva e ficou lindo! Se quiserem mando uma foto prá vcs. Vamos nos falando e é um prazer fazer amigos entre voces neste blog. Um tem que ajudar o outro e dizer que É POSSIVEL SER LIBERTA DA TRICOTILOMANIA(TTM).
Meu e-mail é s.branbini@gmail.com , caso queiram falar comigo.

dacarpe disse...

Olá, sou professor, fotógrafo. Eu e uma amiga que tem tricotilomania estamos dando início a uma série de discussões para um projeto que pretende falar abertamente sobre a doença na intenção de ajudar, orientar, confortar principalmente os portadores, mas também de abrir a mentalidade da sociedade pra algo que se mantém escondido e que, portanto, muitas pessoas desconhecem. Como você deve saber, é extremamente difícil achar pessoas que falem abertamente da doença. Achei teu blog e gostaria de entrar em contato para, quem sabe, que você nos ajude, senão expondo-se (o que posso tranquilamente compreender), pelo menos nos orientando.

Somos brasileiros, portanto seria interessante também entrar em contato com uma galera de fora.

Se você estiver disposta a pelo menos saber qual é a nossa ideia, por favor entre em contato.

Meu e-mail é dacarpe@gmail.com

Abraços

Anónimo disse...

Achei seu blog e te achei muito corajosa por expor seu problema abertamente! Acho que eu não tenho condições de ainda fazer isso... sou brasileira, tenho 28 anos e sofro com a Trico desde os meus 11 anos. A minha perda é de 100% dos cabelos, oque me sobrou foram as laterais que nascem brancos hoje em dia,ano passado procurei um psiquiatra ele passou antidepressivos, remédios para dormir mas nada funciona.

Eu andei lendo sobre essa doença e descobri isso aqui:"Coloca-se a hipótese de que indivíduos com tricotilomania sofrem de um tipo de distúrbio auto-imune em reacção às leveduras de Malassezia ou Candida. Uma vez que Malassezia está presente especialmente nos folículos pilosos e couro cabeludo, "o puxar de cabelos é como espirrar: o corpo tenta livrar-se de um irritante causador de alergia.".

Eu acho muito possível que derrepentemente esta bactéria provoque essa reação involuntária em nós portadores desta doença.

Devo começar uma terapia TCC para aprender as técnicas para parar de arrancar. Mas como você disse os médicos costumar dizer que dependem de nós mesmos... mas essa coceira e esse formigamento que dá no alto da cabeça e essa vontade, inexplicável de arrancar só pode ter fundo bacteriano.
Ao meu ver o maior problema, dessa doença é a incomprensão da sociedade a discriminação diária que passamos é como se fossemos culpados da nossa própria ruína. De certa forma, eu posso dizer que nos tornamos mais humanos, porque começamos a entender como é díficil ser diferente do padrão, assim vemos que não somos diferentes dos obesos,negros,portadores de doenças deformadoras entre outras causas que originam a exclusão social.
Espero que todos nós possamos nos unir através do email para conversarmos sobre isso, porque através da solidariedade e das descobertas de cada um podemos nos tornar mais fortes.
Uma coisa só se torna verdade quando você passa por ela, ou seja, vivencia, experimenta então podemos dizer que conhecemos.
Por isso acho que todos aqui devem se unir porque cada um está vivenciando os efeitos desta doença que ainda é vista como "tabu" pela sociedade.
Deixo meu email a sua disposição e a todos presentes.
Fiquem com Deus! E muita força para vocês!
Beijos
Cris avinha@globo.com