sábado, 13 de outubro de 2012

Desmame Parte II

Se o post anterior foi sobre o desmame de ansiolítico (Alprazolan), este será sobre o desmame de antidepressivo (Cymbalta)!

Pelos e-mails que vou recebendo, apercebi-me que começa a ser moda tomar antidepressivo para atenuar a tricotilomania. Mas será que resulta? Há provas científicos? Há estudos? Eu nunca tive acesso a eles, sou-vos franca! E será que os médicos vos informam devidamente sobre como será, um dia, o desmame e aquilo que terão de sofrer à custa do corte da substância?

Para além de ter ficado 2 semanas de cama, tive enjoos, dores abdominais, dores de cabeça e crises de ansiedade terríveis mas, curiosamente, as picadelas no couro cabeludo não sofreram alterações....nem senti uma vontade fora do normal de mexer no cabelo. E apesar de estar em desmame há 1 mês, a luta vai continuar durante mais 4 meses...! Não queiram isto para a vossa vida, é um conselho de amiga! ;)

Cada vez mais me convenço que o primeiro passo passa pela nossa cabeça, a nossa força de vontade! E acredito mesmo que, às vezes, o vício de mexer no cabelo é maior do que os sintomas que puxam para arrancar o primeiro fio...!! Não acreditem em medicação milagrosa, porque não existe, amigos!!

Um abraço e muita força para todos!

9 comentários:

Sara disse...

Olá
estou acompanhando seu blog e de outras meninas a algum tempo, e hoje criei coragem de criar o meu.
Depois de 12 anos, decidi parar.
Deus nos ajude!!

http://adeusttm.blogspot.com.br/

Inês.A disse...

Olá! Descobri o teu blog hoje e foi uma feliz surpresa! Parabéns! És supercorajosa e muito humana no relato das tuas recaídas e conquistas! Sim, conquistas, porque acima de tudo temos de ser positivas :)

Não acredito que a medicação seja a solução para o nosso problema, mas sim a motivação. Tenho a trico desde os 8 anos e já passei por muitas fases. Já passei anos, meses, semanas, dias sem arrancar cabelo. Fiz psicoterapia quando bati no fundo, dos 24 aos 27 anos e resultou. Mas voltei a ter recaídas, principalmente nos últimos meses. Consegui finalmente um trabalho na minha área, que adoro, mas está cheio de prazos e testes à minha capacidade. O meu namorado teve de emigrar por causa da crise, há dias em que estou um caos, ou de tristeza, ou de ansiedade. Tenho dias que resisto e dias em que desisto.

A minha psicologa foi espectacular comigo. Tirou-me de uma depressão, o sentimento brutal de culpa e de ser o pior ser do mundo, destinado ao falhanço. lol. Hoje 4 anos depois, já me consigo rir disso e ter confiança em mim, sei que errar faz parte. Por isso sei que só depende de mim e da minha força de vontade. Estou numa fase menos boa, cheia de stress e de incertezas. Quem não está neste país, não é?

Ainda hoje voltei a fazer asneira. Daí ter vindo para a net pesquisar e motivar-me a parar novamente. O teu blog é uma boa ajuda. Acho que temos mais ou menos a mesma idade e que criaste o teu blog no meu dia de anos. Não me sinto tão sozinha. Li todo hoje :) Estou supermotivada e sem qualquer vontade de destruir o meu cabelo, que por acaso até nasceu bonito. Força! Ainda acredito em finais felizes! Beijinhos!

Cristian disse...

Devemos ter muito mais controle sobre a saúde do nosso corpo. Temos que ter um sistema de saúde que permite a qualquer um que queira tê-la. É por isso que devemos fazer estudos de estomatologia e coisas que normalmente não são verificados.

Anónimo disse...

Também sou portuguesa de 23 anos, novamente com um recaída. O importante será também falar, conhecer quem sente, vivência e passa por isto. O desconhecimento quase geral, para não dizer total desta mania parva..irrita e atrofia, confunde-nos..assusta. Resisto á medicação, busco a força de vontade, mas acho que vou voltar a falar com uma psicologa, o equilíbrio emocional é importante. Inês gostei de te ler :) D

Trico Tilomania disse...

Meninas,

criei um blog sobre o assunto:

www.mundosecretodatricotilomania.blogspot.com

Dêem uma olhada e divulguem, por favor.

Beijos

Inês.A disse...

Realmente, o bom da internet é saber que não estamos sozinhas/os :) Este blog deu-me uma valente ajuda a começar de novo.

E também já espreitei este: www.mundosecretodatricotilomania.blogspot.com

Muito interessante :) Esta associação nunca tinha feito, entre a trico e o hipertiroidismo. Vou investigar ;) Nice tip! Tenho várias características de hipertiroidismo.

O meu cabelo começa finalmente a recuperar, dois meses depois da última grande recaída, ainda está longe de perfeito, mas já vejo uma luz ao fim do túnel. Até lá... as fitas largas e os gorros são os meus "melhores amigos". Fico tão melhor com o cabelo solto... :( Que frustração. É esperar e perseverar e vigiar... Os blogs ajudam mesmo a motivar :)

Beijinhos!

Anónimo disse...

Tenha uma experiência de vida absolutamente surreal, incrível. Procure ir até um lugar que vc gosta muito, com pessoas incríveis que isso vai fazer com que naturalmente seu organismo produza substâncias antidepressivas.

tronxa disse...

nao sabia "da missa a metade", xaninha!!

agora entendo a depressão e por vezes te ires abaixo...

fico com pena de nao poder ajudar, mas confiante que darás "conta do recado", pois, como tu dizes, és forte!!!!

bjnhssssssssssss grandes

Vic disse...

Tomei Cymbalta 30mg durante uns 2 anos por motivo de fibromialgia. Durante o tratamento senti uma grande diferença (para melhor) em meu humor e irritabilidade, mas realmente não achei que estava funcionando para minha ansiedade e para as dores que eu sinto.
Resolvi parar sem consultar minha médica pois todas as vezes que pedi para pararmos ela não concordou.
Pesquisei um pouco e, por experiência com o desmame de outros antidepressivos, comecei a retirada do remédio aos poucos. Comecei tomando dia sim dia não, depois dia sim e 2 não e continuei aumentando um dia sem o remédio durante pouco mais de 1 mês, até o ponto em que tomava um dia e 4 não. Quando me senti preparada cortei de vez o remédio. Os sintomas são realmente horríveis! A tontura, a irritabilidade, crises de ansiedade, tudo veio a tona.
Hoje fazem 20 dias que estou sem o remédio e continuo sentindo algumas tonturas, mas o restante dos sintomas do desmame quase não aparecem mais.
Recomendo á quem também está tentando parar que aguente firme. Sei que é muito difícil de aguentar os sintomas ruins do desmame, mas vai passar, é só ter força de vontade.
Mas tenho que admitir que o remédio é realmente muito bom, pois enquanto estava tomando não achava que funcionava, mas agora que parei noto que minhas dores voltaram com força total... procurei alternativas naturais como acupuntura e fisio, espero que funcionem...