quarta-feira, 5 de Fevereiro de 2014

Testemunho para artigo científico

Queridos amigos,
Recentemente fui contactada pela jornalista Carla Mateus, a solicitar o meu testemunho sobre a Tricotilomania, que serviria de base a um artigo científico para o site MSN Saúde e Bem-Estar. Não hesitei no meu "sim", pois é esta a minha missão! Certo?

Ontem, recebi por mail o resultado do artigo e, mais uma vez fiquei com o sentimento de dever cumprido. O rigor científico, a clareza na exposição de ideias e a riqueza de conteúdo, fará com que qualquer "leigo" na matéria se sinta esclarecido em relação ao que é é a Tricotilomania.



Dedico as minhas palavras a todos vocês que me seguem, que buscam força no meu blog, que me contactam e... que também me dão força, diariamente, para não recair!


E à jornalista Carla Mateus, o meu muito obrigada!!


Para lerem o artigo basta clicarem  AQUI


Se acharem pertinente, deixem a vossa opinião na caixa de comentários!
Beijinhos a todos*

domingo, 8 de Dezembro de 2013

Partilhar para ajudar

Ter Tricotilomania é mais complexa do que a simples vontade de arrancar cabelo. Pode também ser arrancar pestanas, sobrancelhas, pêlos de qualquer outra região do corpo, incluindo a púbica. Sim, não sabiam?


Uma leitora anónima deste meu cantinho, partilhou o modo como a trico se manifesta na sua vida. E, como nunca conheci um caso identico, vou dar algum destaque este testemunho e pedia-vos que lessem e partilhassem se o mesmo se passa convosco ou se conhecem casos assim.

"...eu não arranco os cabelos diretamente da raiz, mas eu faço nós na ponta dos fios, vou embolando esses nós, amarrando uns aos outros, e depois os arranco. Acontece que como fico futricando muito na ponta dos cabelos, acabo por arrancar tufos da raiz quando vou desfazer esses nós. Minha casa fica cheia de bolinhas de cabelo pelo chão. Quando prendo o cabelo, na altura da nuca fica muitos fios mais curtos, como se eu tivesse rapado em algum momento passado, e preciso ficar justificando para as pessoas que na verdade são "cabelinhos novos".
Mas agora tem piorado, tenho começado a sentir as coceiras no couro cabeludo e tenho medo de começar a arrancar diretamente da raiz.
Se alguém passa por algo parecido como eu, por favor, manifeste-se para que possamos trocar conversas e se ajudar mutuamente."


Beijinhos a todos*

terça-feira, 1 de Outubro de 2013

Tricotilomania na Gravidez


Por aqui vive-se uma fase familiar próspera, pois vem gente nova a caminho!
É verdade amigos, estou de bebé de 4 meses!

A gravidez é uma benção na vida de qualquer mulher e qualquer casal. No entanto, mesmo rodeada de gente que me ajuda, tenho os meus momentos de medo e insegurança...e isto é terrível para a tricotilomania!

A ansiedade tem andado disparada e custa-me muito adormecer! Porquê não sei...mas só sei que há dias em que só me consigo acalmar se arrancar alguns fios! Evito ao máximo arrancar no topo da cabeça, pois já está num estado lastimável, mas o que é facto é que é mesmo aí que me apetece arrancar! Parece que sinto formigas a passear pela cabeça! Horrível...!! Também sentem isto?

Já li relatos de mães que perceberam que os seus filhos também já mostram prazer em mexer nos cabelos. Arrepio-me só de pensar nisso, mas  por outro lado fico descansada pelo facto de me conseguir conter quando estou junto de outras pessoas!!

Dúvidas, dúvidas, dúvidas e mais dúvidas...
Estou numa fase nova e, como tal a ansiedade manifesta-se da pior forma, mas vou lutar com todas as minhas forças para voltar a ter o meu cabelão e para me livrar dos ganchos e dos travessões!

Muita força a todos, pois o Outono mexe sempre um pouquinho com o sistema nervoso das pessoas mais sensíveis.
Obrigada por estarem aí e partilharem este espaço comigo*

segunda-feira, 27 de Maio de 2013

As "cicatrizes" da Tricotilomania

Estava estacionado...pensava eu...! Pelo menos, conscientemente, não arrancava cabelo...

Mas, se não arranco cabelo, porque não cresce? Porque continuo a ver cabelos?
A resposta é simples: percebi que, nas alturas em que ando mais tensa e com os níveis de ansiedade mais elevados, arranco cabelo durante a noite...enquanto durmo! Como descobri? Simplesmente acordei e percebi que a mão estava no cabelo...acendi a luz e, ao meu lado, haviam fios de cabelo arrancado...

Portanto, os meus alertas voltaram aumentar para os níveis máximos!

Hoje fui ao cabeleireiro e fiquei feliz porque vi milhares de cabelinhos a crescer! Significa que, apesar de tudo, o cabelo continua a ser um aliado! E continua a crescer...lindo e forte....
 Aqui ficam algumas fotos das peladas do meu cabelo, onde se pode ver os cabelinhos a crescer:

                                                             
Lado esquerdo

Lado Direito

Topo da Cabeça

E para ajudar o meu cabelo a crescer ainda mais lindo e ainda mais forte, a cabeleireira aconselhou-me a usar umas ampolas chamadas "Tiazolin Choc - Bioestimulante".                                                     

Portanto, aguardem por notícias...
e força a todos!!

domingo, 19 de Maio de 2013

"Tricotilomania - Portugal" @ Facebook

Em portugal a tricotilomania é uma "estranha", portanto não tenho medido esforços para divulgar o máximo possível e para chegar conforto às pessoas que ainda se acham um "alien" por arrancar cabelo!

Gostava de poder contar contigo no grupo "Tricotilomania - Portugal" no Facebook. Basta clicares AQUI

E, se possível, gostava de contar contigo para espalhar a palavra a todas/os portugueses que conheças e que estejam na mesma situação que nós! ;)


Obrigada

quarta-feira, 15 de Maio de 2013

Um obstáculo chamado "Vento"


Ultimamente tem sido difícil evitar o arranque do cabelo!
O couro cabeludo chama "arranca..arranca...és fraca...arranca..."...mas eu não quero nem posso ceder aos seus caprichos!

Às vezes cansa-me isto da Tricotilomania...
Cansa-me encontrar estratégias para esconder as falhas...cansa-me ser obrigada a usar fita ou ganchos sempre que está um dia mais ventoso!

E por falar em vento...
Ultimamente tem feito muito vento. Ai, detesto...
Há dias um carro parou para me deixar atravessar a rua e uma rajada de vento levantou o meu cabelo! O meu mundo parou alí e minha única preocupação passou a ser a de apanhar o cabelo o mais rápido possível para não deixar o vento expor as minhas falhas! E consegui fazê-lo a tempo...ufa...

A Tricotilomania não me vence...porque eu sou mais forte!
Força a todos!!

segunda-feira, 29 de Abril de 2013

Pedidos de socorro...

Os e-mails continuam a chegar, em cada vez maior número!
Gritos a pedir ajuda...palavras de desespero, que sei tão bem porquê...

Infelizmente, não estou livre da Trico, portanto vinco a minha posição de que não posso ser exemplo nem tenho respostas para dúvidas, que também eu tenho...

Para já, a única conclusão a que cheguei é que a área da Psiquiatria é a mais indicada para controlar a tricotilomania. Atenção, controlar não é curar...! A cura depende do nosso auto controle e não há medicamento milagroso que contrarie isso! Por vezes, um ansiolítico pode fazer milagres, rumo à moderação do nosso sistema nervoso e alívio da ansiedade...

Muita força a todos e lembrem-se de evitar SEMPRE o 1º fio, ok?
beijinhos*

segunda-feira, 4 de Fevereiro de 2013

Em direto na televisão nacional

Em outubro passado dei um passo, que penso que seja penso importante, rumo à desdramatização da Tricotilomania. Fui contactada pela jornalista Leonor Sacadura, da SIC, que me propôs uma entrevista a testemunhar o que é e como é ter Tricotilomania.

Não vacilei e aceitei de imediato! Apesar dos meus compromissos profissionais não me terem permitido deslocar ao estúdio em Lisboa, a equipa veio ao Porto e entrevistou-me. Nervosa e sempre atenta, dei o meu melhor pensando em todos vós e em toda a gente que poderia vir a identificar-se comigo.






Aguardo pelo vosso feedback*

sábado, 13 de Outubro de 2012

Desmame Parte II

Se o post anterior foi sobre o desmame de ansiolítico (Alprazolan), este será sobre o desmame de antidepressivo (Cymbalta)!

Pelos e-mails que vou recebendo, apercebi-me que começa a ser moda tomar antidepressivo para atenuar a tricotilomania. Mas será que resulta? Há provas científicos? Há estudos? Eu nunca tive acesso a eles, sou-vos franca! E será que os médicos vos informam devidamente sobre como será, um dia, o desmame e aquilo que terão de sofrer à custa do corte da substância?

Para além de ter ficado 2 semanas de cama, tive enjoos, dores abdominais, dores de cabeça e crises de ansiedade terríveis mas, curiosamente, as picadelas no couro cabeludo não sofreram alterações....nem senti uma vontade fora do normal de mexer no cabelo. E apesar de estar em desmame há 1 mês, a luta vai continuar durante mais 4 meses...! Não queiram isto para a vossa vida, é um conselho de amiga! ;)

Cada vez mais me convenço que o primeiro passo passa pela nossa cabeça, a nossa força de vontade! E acredito mesmo que, às vezes, o vício de mexer no cabelo é maior do que os sintomas que puxam para arrancar o primeiro fio...!! Não acreditem em medicação milagrosa, porque não existe, amigos!!

Um abraço e muita força para todos!